???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.bdtd.ueg.br/handle/tede/782
Tipo do documento: Dissertação
Título: A season in the wilderness: ecoativismo, identidade e topofilia em “Desert Solitaire”, de Edward Abbey
Autor: Tristão, Regina Barbosa 
Primeiro orientador: Frota, Adolfo José de Souza
Primeiro membro da banca: Frota, Adolfo José de Souza
Segundo membro da banca: Ricarte, Patrícia Chanely Silva
Terceiro membro da banca: Felizardo, Alexandre Bonafim
Resumo: Este estudo é uma análise das leituras realizadas sob o ponto de vista da ecocrítica e das teorias do espaço sobre o relato autobiográfico Desert Solitaire: A Season in the Wilderness (1968), de Edward Abbey (1927 1989), autor estadunidense, natural de Indiana. O estudo objetiva explorar teorias que abordem a relação entre o homem e a natureza, com base nas experiências do autor durante um período em que esteve mais próximo do wilderness, como guarda-florestal do Arches National Monument, entre 1956 e 1957. Apesar de o livro ter sido baseado nas experiências provenientes do período citado, o autor sempre esteve em contato com a natureza do sudoeste e oeste americanos, desde os seus primeiros anos de vida. A observação acerca da convivência de Edward Abbey com a natureza, desde cedo, possibilitou algumas reflexões sobre a relação dele com o wilderness, percebida como positiva. Foi possível, também, compreender o comportamento ecoativista do autor, em Desert Solitaire e no conjunto da sua obra (não estudada no presente trabalho) revelado a partir das pesquisas realizadas para a elaboração deste texto. As reflexões do autor, relativas às suas vivências no deserto, suscitaram o urgente protagonismo do homem frente ao desafio de promover o progresso, compreendendo que o desenvolvimento econômico deve avançar, paralelamente, a um projeto de preservação ambiental factual. Identifica-se, na escrita de Abbey, uma potencial defesa da natureza, além de reflexões filosóficas quanto à necessidade de se preservar a vida do deserto, consequentemente, a vida do planeta. Desert Solitaire “imortalizou” o ativismo do autor e a sua voz que ecoou no deserto em favor da vida humana e não humana. Nesse livro, há um inventário dos elementos espaciais do deserto, descrições poéticas do espaço, sugestões de práticas de turismo ecológico, sobretudo, o autor faz críticas às ações destrutivas do homem quanto à sua relação com a natureza, por meio de um discurso literário intenso. Esse livro colabora para um debate atual da preservação, que é uma preocupação em nível mundial. O livro de Abbey também encerra um alto valor estético em razão da qualidade artística do seu relato de experiência, o que possibilita, inclusive, uma leitura literária.
Abstract: This study is an analysis of approaches from the point of view of both ecocriticism and space theories on the autobiographical report Desert Solitaire: A Season in the Wilderness (1968), by Edward Abbey (1927-1989), an US author, born in Indiana. The study aims to focus on the relationship between man and nature based on the author's own experiences during a period of time when he was closer to wilderness, as a ranger at the Arches National Monument, between 1956 and 1957. Although the book had been written based on the experiences from the mentioned period the author has always been in contact with the nature of the American Southwest and West since his early years. The observation about Edward Abbey's coexistence with nature, from an early age, allowed some reflections about his relationship with wilderness perceived by him as positive. It was also possible to understand the author's ecoactivist behavior in Desert Solitaire and in the whole of his work (not studied in the present work) revealed from the research carried out for the elaboration of this text. The author's reflections concerning his experiences in the desert aroused the urgent protagonism of man, facing the challenge of promoting progress, understanding that economic development must advance concomitantly to a project of factual environmental preservation. Abbey's writing identifies a potential defense of nature and philosophical reflections on the need to preserve desert life, as also the life of the planet. Desert Solitaire “immortalized” the author's activism and his voice that echoed in the desert in favor of human and non-human life. In this book, there is an inventory of the spatial elements of the desert, poetic descriptions of the space, suggestions for ecotourism practices, above all, the author criticizes man's destructive actions in relation to nature, through an intense literaty discourse. This book contributes to a current preservation debate, which is a worldwide concern. Abbey’s book has also a high aesthetical value due to the artistic quality of his experience repport, what makes possible, including, a literary reading.
Palavras-chave: Ecocrítica
Ecoativismo
Deserto
Preservação
Literatura
Ecocritical
Ecoactivism
Wilderness preservation
Literature
Área(s) do CNPq: LINGUISTICA, LETRAS E ARTES
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Estadual de Goiás
Sigla da instituição: UEG
Departamento: UEG ::Coordenação de Mestrado em Língua, Literatura e Interculturalidade
Programa: Programa de Pós-Graduação Strito sensu em Língua, Literatura e Interculturalidade (POSLLI)
Citação: TRISTÃO, Regina Barbosa. A season in the wilderness: ecoativismo, identidade e topofilia em “Desert Solitaire”, de Edward Abbey. 2020. 114 f. Dissertação (Mestrado em Língua, Literatura e Interculturalidade) – Câmpus Cora Coralina, Universidade Estadual de Goiás, Goiás, GO, 2020.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.bdtd.ueg.br/handle/tede/782
Data de defesa: 18-Mar-2020
Appears in Collections:Mestrado Acadêmico em Língua, Literatura e Interculturalidade

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
REGINA_BARBOSA_TRISTAO.pdfDissertação1,51 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.