???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.bdtd.ueg.br/handle/tede/427
Tipo do documento: Dissertação
Título: Caracterização morfofisiológica e severidade de Cephaleuros virescens em mangueira
Autor: Vasconcelos, Camila Vilela
Primeiro orientador: Carvalho, Daniel Diego Costa
Primeiro membro da banca: Carvalho, Daniel Diego Costa
Segundo membro da banca: Peixoto, Nei
Terceiro membro da banca: Santos, Solange Xavier dos
Resumo: A manga é considerada uma das mais importantes frutas tropicais cultivadas no mundo, em que o Brasil é o sétimo produtor mundial. Entretanto, muitos são os problemas encontrados nesta cultura como a mancha de algas, causada por Cehaleuros sp., que após se instalar em plantas de mangueira causam lesões foliares e tendem a se expandir e, como consequência ocorre redução da área fotossintética das folhas. Há poucos estudos referentes a características morfológicas, isolamento e epidemiologia deste microrganismo. O objetivo deste trabalho foi realizar a caracterização taxonômica do agente causal da mancha de algas em mangueira, o seu isolamento em meio de cultura, estudo da sua fisiologia in vitro e distribuição de lesões no campo. Para tanto, foi realizada a caracterização em microscópio de luz das estruturas do patógeno e o isolamento foi avaliado em diversos meios de cultura (com e sem adição de hormônios), com subsequente avaliação do crescimento e a observação da gênese de estruturas reprodutivas. Para estimar a incidência e severidade, um total de dez plantas (5 x 5 m) do pomar da Universidade Estadual de Goiás (UEG) foram avaliadas ao longo de cinco dias. Assim, com relação a sintomatologia, foram observadas lesões foliares de formato arredondado e coalescentes, de cor laranja, com textura aveludada, principalmente na face adaxial. As dimensões obtidas para esporangióforos e esporângios foram de 245,5 - 545,6 x 10,5 - 19,1 μm e de 21,4 - 34,2 x 16,3 - 24,7 μm, respectivamente. Não foi possível o isolamento da alga, a partir de fragmentos de tecido, em meio sólido, mas apenas em meio líquido Trebouxia. Entretanto, após isolamento em meio líquido, foi possível o cultivo em meio sólido, onde estruturas vegetativas e reprodutivas puderam ser visualizadas, com ou sem adição de hormônio, dependendo do meio de cultura. Na avaliação em campo, a incidência da doença nas plantas foi de 80 - 100% (média de 92,25%) não havendo diferença estatística entre as plantas; enquanto que para a severidade, metade das plantas exibiram de 4,68 a 7,31% de área foliar coberta com sintomas da mancha de algas (afcsma) e a outra metade posicionou-se em uma faixa superior (de 9,37 a 15,06% de afcsma). Assim conclui-se que: (1) descrições baseadas na sintomatologia, aliada às características micromorfológicas indicaram, que a alga encontrada em mangueira trata-se de Cephaleuros virescens; (2) o tamanho do esporangióforo é um caractere mais seguro para diferenciar C. virescens de C. parasiticus; (3) há necessidade da germinação de estruturas reprodutivas para originar talo vegetativo in vitro; (4) a adição de hormônio ao meio de cultivo, individualizada, não está relacionada como promotor do processo de gametogênese in vitro em Cephaleuros; (5) de forma oposta a incidência, a severidade possibilita evidenciar plantas em maior grau de ataque do que as demais e; (6) plantas com maior sombreamento apresentam maior severidade.
Abstract: The mango is one of the most important tropical fruit grown in the world, in which Brazil is the seventh world producer. However, there are many problems in this culture as the algal leaf spot, caused by Cehaleuros sp., that after install in mango cause leaf spots and tend to expand and, as consequence there is a reduction in the photosynthetic area of leaves. There are few studies about morphological characteristics, isolation and epidemiology of this microorganism. The objective of this work was the taxonomic characterization of the causal agent of the algal leaf spot in mango, its isolation in culture medium, study their in vitro physiology and distribution of lesions in the field. For this, was performed the characterization in light microscopy of pathogen structures and isolation was evaluated in various culture medium (with and without added hormones), with subsequent growth assessment and observation of the genesis of reproductive structures. To estimate the incidence and severity, a total of ten plants (5 x 5 m) from the orchard of the University State of Goiás (UEG) were evaluated along five days. Thus, with respect to symptoms, have been observed foliar lesions rounded and coalescing format, orange color, with velvety texture, especially in the upper side. The dimensions obtained for sporangiophores and sporangia were 245.5 - 545.6 x 10.5 - 19.1 μm and 21.4 - 34.2 x 16.3 - 24.7 μm, respectively. The isolation of the algae from tissue fragments on solid medium was not possible, but only in liquid medium Trebouxia. However, after isolation in liquid medium, was possible cultivation in solid medium, where vegetative and reproductive structures could be visualized, with or without added hormone, depending on the culture medium. In the field evaluation, the incidence of the disease in plants was 80 - 100% (mean 92.25%) with no statistical difference between plants; while for the severity, half of the plants exhibited 4.68 to 7.31% of leaf area covered with stain symptoms of algae (afcsma) and the other half positioned itself in a higher range (9.37 to 15.06% of afcsma). Unlike incidence, the severity showed plants in greater attack than the others. Thus it is concluded that: (1) Based on the descriptions of the symptomatology, combined with the micromorphological characteristics, indicated that the algae found in mango is Cephaleuros virescens; (2) The size of the sporangiophore is a safer character to differentiate C. virescens x C. parasiticus; (3) Germination of reproductive structures is required to give vegetative stem in vitro; (4) The addition of the hormone to the culture medium, individually, is not related as promoter of in vitro gametogenesis process in Cephaleuros; (5) As opposed to the incidence, the severity enables show plants with greater degree of attack than the others and; (6) Plants with higher shading present higher severity.
Palavras-chave: Epidemiologia
Fitopatologia
Fisiologia in vitro
Fruticultura
Sintomatologia.
Epidemiology
Phytopathology
In vitro physiology
Fruit production
Symptomatology.
Área(s) do CNPq: CIENCIAS AGRARIAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Estadual de Goiás
Sigla da instituição: UEG
Departamento: UEG ::Coordenação de Mestrado em Produção Vegetal
Programa: Programa de Pós-Graduação Stricto sensu em Produção Vegetal (PPGPV)
Citação: VASCONCELOS, Camila Vilela. Caracterização morfofisiológica e severidade de Cephaleuros virescens em mangueira. 2015. 44 f. Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Unidade Ipameri, Universidade Estadual de Goiás, Ipameri-GO.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.bdtd.ueg.br/handle/tede/427
Data de defesa: 20-Feb-2015
Appears in Collections:Mestrado em Produção Vegetal

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissert__Camila__final.pdf1,33 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.